IMD | Instituto Metrópole Digital

Notícias

21 ago 2019/ ASCOM

BioME publica artigo em revista científica de destaque internacional

No intuito de produzir ciência e contribuir para o desenvolvimento de pesquisas internacionais, o Centro Multiusuário de Bioinformática (BioME), núcleo integrador do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), publicou, na última semana, um artigo em uma das revistas científicas mais citadas no mundo: a Proceedings of the National Academy of Science USA (PNAS).

O trabalho acadêmico contou com a participação do coordenador do BioME, Sandro de Souza, e do doutorando em bioinformática, Vandeclécio da Silva, além de outros pesquisadores estrangeiros.

O artigo, ou paper, diz respeito ao estudo sobre a identificação do potencial humano na supressão de tumores, tendo em vista o genoma do Saccharomyces cerevisiae, ou levedura, utilizada para produção do pão e cervejas.

“Acredito que esse trabalho é um grande incentivo para que a comunidade acadêmica continue estudando o assunto de câncer, que por si só tem um apelo social. Conseguimos lançar uma linha de pesquisa interessante”, avalia o doutorando Vandeclécio da Silva.

Para ler o trabalho na íntegra, basta acessar o link ou visitar o portal oficial da revista internacional e seguir na aba de “Articles”.

Artigo científico

Segundo o professor Sandro de Souza, a pesquisa publicada no PNAS é decorrente de vários estudos encabeçados por Richard Kolodner, geneticista americano reconhecido mundialmente. “Nosso trabalho é uma colaboração de bioinformática com as pesquisas feitas até o momento”, explica o docente.

As investigações científicas dirigidas por Kolodner, conforme conta Souza, tiveram início após descobertas ocorridas há mais de 20 anos, quando se constatou que os mecanismos naturais de correção de mutações genéticas, presentes tanto nos animais como nos seres humanos, ao serem danificados, poderiam aumentar o risco de câncer.

Desde então, pesquisadores de todo o mundo têm se empenhado no estudo desses mecanismos de correção, especialmente a levedura. No caso do BioME, para a produção dopaper, a equipe se encarregou de identificar proteínas capazes de corrigir mutações e realizar sua caracterização genética por meio da bioinformática.

“Estudamos 16 tipos de câncer diferentes e analisamos milhares de amostras para gerar os dados presentes no artigo”, conta Sandro de Souza.

Dados abertos

Apesar dos direitos autorais do paper pertencerem ao PNAS, o artigo científico oferece a pesquisadores da área da genômica uma série de dados abertos, que podem embasar mais pesquisas sobre o assunto.

“É comum na comunidade científica o compartilhamento de informações. Todos os dados gerados na caracterização das amostras são abertos e disponíveis para download, caso alguém se interesse em dar continuidade às investigações acadêmicas sobre o tema”, afirma o docente.

Com mais de 100 artigos científicos publicados em revistas internacionais, o BioME hoje é referência na área de bioinformática em todo o Brasil. Ao todo, o país conta com apenas três programas de pós-graduação na área, o que faz do núcleo integrador do IMD, e do Programa de Pós-Graduação em Bioinformática da UFRN, iniciativas pioneiras em todo território nacional.

 

Outras Notícias

19 ago 2019 por
ASCOM

Unidade do Projeto Include em Natal conta com participação da UFRN

Iniciativa visa proporcionar inclusão tecnológica para jovens de escolas públicas


EVENTO
22 ago 2019 por
ASCOM

Aluno do Programa Talento Metrópole é selecionado para estágios no Facebook, Google e Microsoft

Victor Agnez passará temporada em três países diferentes. Viagens começam em dezembro


TALENTO METRÓPOLE | ESTÁGIO