IMD | Instituto Metrópole Digital

Notícias

08 jun 2021/ ASCOM

Egresso da UFRN atua em projeto internacional para otimização do sistema Linux


Engenheiro de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, o Google, o egresso do curso de Engenharia da Computação da UFRN Wedson Torres está envolvido em um projeto internacional que promete trazer mais segurança e otimização de memória ao sistema operacional Linux.

A iniciativa – que conta com a cooperação do próprio fundador do sistema, Linu
s Torvalds – visa a implantação de uma nova linguagem de programação, a Rust, para ser utilizada no núcleo (kernel) do sistema Linux, promovendo uma redução nas vulnerabilidades do sistema baseadas no uso de memória do computador. Wedson Torres atua no projeto como um dos seus três mantenedores, e a partir do Google, mas a iniciativa tem a colaboração de outras instituições.

O processo de criação do Linux é um dos mais importantes exemplos de colaboração de software livre e de código aberto. O seu código-fonte pode ser usado, modificado e distribuído – com fins comerciais ou não – por qualquer pessoa, respeitando-se as licenças previstas.

Primeira vez

“Essa é a primeira vez que implantaremos uma linguagem de programação que nos garante que não haverá vulnerabilidades de memória e que, ao mesmo tempo, tenha o desempenho da linguagem de programação ‘C’, utilizada até então por todas as empresas de tecnologia em sistemas operacionais”, comenta o engenheiro de software.

“A importância do código desse núcleo é que o tempo todo, em todos os dispositivos, esse programa está rodando. Por exemplo, existem vulnerabilidades no Gmail, mas nem todo mundo usa o Gmail. Já o núcleo do sistema operacional todo mundo roda e é, portanto, um alvo muito visado por hackers. Então achei um bom lugar para avaliar e ajudar em sua otimização”, conta Wedson Torres.

Ele recorda que, ao retornar ao trabalho depois de uma licença paternidade, estava procurando se engajar, dentro do Google, em um novo projeto, e que foi nesse momento que encontrou a iniciativa relacionada ao Linux. Segundo Torres, isso aconteceu devido ao seu desejo de procurar de engajar em alguma ação de abrangência mundial e que atingisse o maior número de pessoas.

Alternativa segura

A linguagem “C” é utilizada em sistemas operacionais há décadas e, até então, nunca foi substituída por causa de seu bom desempenho. Somente com o trabalho de um grupo de pesquisa vinculado à fundação Mozilla foi que uma nova solução – com garantias formais e eficiência comprovada – pôde ser proposta como uma alternativa segura e eficaz frente à antiga “C”.

Segundo o Wedson Torres, cerca de 80% das vulnerabilidades de segurança de um computador – das quais decorrem ataques virtuais como os vírus – é decorrente de problemas de gerenciamento de memória, um dos pontos fracos da linguagem “C”.

“Esperamos reduzir, portanto, 80% desses riscos, que hoje o Linux sofre devido ao uso da linguagem antiga. Não estamos reescrevendo o núcleo do sistema, estamos apenas adicionando uma linguagem nova e componentes novos”, explica o engenheiro.

Usuário final

Por isso, para o usuário final (donos de computadores com Linux ou de dispositivos Android, por exemplo), a mudança, que será aplicada em todo o mundo, surgirá especialmente no quesito segurança e nas consequências que acontecerão a partir disso.

“Quando os hackers invadem um computador, por exemplo, muitas vezes ele fica mais lento. Com Rust, a probabilidade é que isso aconteça menos. Além disso, com menos vulnerabilidades, as empresas poderão diminuir o número de atualizações de sistema, o que desencadeará em menor custo extra de bateria, entre outras vantagens”, aponta Torres.

Atualmente, o projeto está em fase de finalização junto à equipe Linux, para a qual o time de engenheiros e demais colaboradores enviaram uma solicitação do tipo “Pull Request” (quando se pede a implantação direta da proposta junto ao sistema). A previsão de Wedson Torres é que a ação seja aceita
pela Linux nos próximos meses.

Metrópole Digital

No início do ano passado, o engenheiro Wedson Torres esteve no Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) para dar uma palestra sobre sua carreira profissional junto ao Google, Facebook e Microsoft.

Outras Notícias

20 mai 2021 por
ASCOM

IMD oferta disciplina de inovação tecnológica em parceria com curso de Medicina da UFRN

Componente curricular já recebe matrículas para novo semestre de 2021.1


CURSO | INOVAÇÃO
10 jun 2021 por
ASCOM

Aula inaugural de disciplina do IMD contará com palestra de Gil Giardelli

Evento on-line acontece nesta sexta-feira (11), às 15h30


INOVAÇÃO | PALESTRA